Sábado, 31 de Janeiro de 2009

LER

Você lerá o Evangelho.
Saiba, porém, que ele não é um amuleto.
Inútil lhe será abri-lo na posição de quem busca um objeto de ação mágica, poderosa capaz de desviar ou evitar malefícios pelo simples manuseio.
A superstição poderá ter confundido os seus conceitos Você poderá estar crendo que a Boa Nova seja um livro de poder secreto que o forrara de surpresas menos agradáveis ou de companhias espirituais não desejadas.
Talvez por séculos, na série de vidas sucessivas, você tenha aberto os livros de registros religiosos desejoso libertar, a seu favor, alguma força misteriosa, criada pela ignorância ou alimentada pela fome de ficção religiosa, Desejará repetir as mesmas atitudes na área Espírita, confundindo-se a si mesmo ou repetindo ás velhas ilusões de outrora.
Evangelho é roteiro.
Deve ser lido de coração aberto.
A sua consulta é decisiva para ajustar a nossa vida íntima aos valores reais da eternidade, provisionando-nos de condições para vencer-nos a nós mesmos.
Ele nos trará paz, se quisermos construí-Ia.
Jamais, porém, pela leitura mecânica ou simplesmente extática, alcançaremos qualquer benefício, já que suas lições, as lições do Mestre, se consubstanciam-no convite:
"Aquele que quiser vir após mim, tome a sua cruz e siga-me”.
0 seu poder é o de iluminação espiritual.
Quem esteja com claridade sobre o caminho por onde palmilha evidentemente terá menos perigo de resvalar por abismos insondáveis.
0 seu magnetismo é de renovação profunda.
Quem se ajusta a mais ampla visão da existência, por certo que não sofrerá tantas desilusões, porque não agirá iludido, mas sim com conhecimento de causa.
Anula malefícios por combater o mal.
Quem se repleta de bom ânimo terá, sempre, mala condições de suportar os atritos da evolução, enredando-se menos no cipoal dos enganos.
Nada tem de secreto.
Quem amadureça o senso moral poderá ter a ampla visão que Jesus desvendou para todos e que a todos nos induz para o burilamento do próprio coração.
Leia o Evangelho descobrindo caminhos da paz.
Roque Jacyntho
Jornal O Clarim - 15/Junho/1971
PUBLICADO POR SÉRGIO RIBEIRO às 22:11

LINK DO POST | COMENTAR | favorito
|

.MAIS SOBRE MIM

.PESQUISAR NESTE BLOG

 

.Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27

.POSTS RECENTES

. FÉ RACIOCINADA

. COISAS TERRÍVEIS E INGÊNU...

. CAIM FUNDOU UMA CIDADE SE...

. OS HERÓIS DA ERA NOVA

. CONFLITOS E PERFEIÇOAMENT...

. GRATIDÃO: UM NOVO OLHAR S...

. PERDÃO DE DEUS

. A FÉ: MÃE DA ESPERANÇA E ...

. NO CRISTIANISMO RENASCENT...

. EM PAUTA – A TRISTE FESTA

.arquivos

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds